[1º] Força resultante (por Guilherme Soares)

O movimento é algo muito presente em nossas vidas, acontece em seres animados e inanimados. Isso é muito natural para nós, mas muitas vezes não percebemos o que o causa, não é verdade? As pessoas sabem que um corpo solto no ar, por exemplo, tende a cair por que não está sobre nenhuma superfície, mas muitas vezes elas não se atentam ao fato de que o que causa o movimento de queda é a força da gravidade que o puxa para a superfície terrestre.

Então explicando melhor, o que causa movimento é determinada força, que é uma grandeza vetorial e por isso tem as seguintes características:

-Módulo: intensidade da força aplicada;

-Direção: se é horizontal, diagonal ou vertical;

-Sentido: para que lado a força é (direita, esquerda, cima, baixo)

Existem diversos tipos de força: de atrito, peso, atração, elástica, entre outras. Cada uma pode causar uma certa mudança de movimento, a qual depende de algo muito importante: a força resultante, isto é, o resultado de todas as forças aplicadas em determinado corpo.

Para descobrir qual a força resultante são necessários cálculos de soma vetorial, que é a soma de vetores.

Alguns exemplos de casos:

1 – Forças com mesma direção e sentido


Nesse caso o que se deve fazer, como mostra a figura, é somar as “setas” (vetores), ligando o final de uma com o começo da outra. Caso os módulos das forças tenham sido apresentados é só somar os números para ter o módulo da força resultante, que nesses casos vai ser sempre diferente de zero, pois as forças têm mesma direção e sentido.

2 – Forças com mesma direção e sentidos opostos

Nesse caso como os sentidos dos vetores são opostos, uma das forças recebe o sinal negativo e assim se tira um pedaço do outro vetor, como é mostrado na figura. E para saber o módulo da força resultante se subtrai os módulos das forças. Agora, caso os vetores tenham o mesmo módulo (com sinais diferentes, pois têm sentidos opostos), o resultado da força resultante será zero e não haverá mudança de movimento.

3 – Forças perpendiculares

Já nesse caso a força resultante é calculada fazendo os dois vetores saírem do mesmo ponto, formando um ângulo de 90° e assim fazendo um paralelogramo. A força resultante então é o vetor que sai do ângulo e vai em direção ao ponto em que os paralelos das duas forças se encontram. A soma dos módulos é feita através da fórmula de Hipotenusa, sendo assim:

Fr² = F1² + F2²

É importante ressaltar o fato de que a mudança de movimento só acontece se o resultado da força resultante for diferente de zero.

Para ajudar no entendimento assista ao vídeo:

About these ads

1 Comentário

Arquivado em Recomendados, SESI.1A

Uma resposta para “[1º] Força resultante (por Guilherme Soares)

  1. Adorei o resumo,claro e objetivo!!!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s