[3º] Eletrização, um bicho de três cabeças (por Matheus Regly)

A eletrização é um processo muito comum no nosso dia-a-dia, porém, pouco conhecido por todos. Esse processo é conhecido como um fenômeno que tem como objetivo a transferência de cargas elétricas entre dois corpos que pode ocorrer através de três formas: por atrito, por contato e por indução.

Por atrito: A eletrização por atrito consiste em atritar dois corpos para que haja a troca de cargas, ou seja, após os corpos serem atritados eles ficam com as suas cargas opostas, um bom exemplo disso é a seguinte experiência. Pegue uma caneta esferográfica qualquer e corte pedaços pequenos de papel, depois atrite a parte de traz da caneta nos cabelos e em seguida aproxime a parte atritada da caneta aos pedaços de papel. Você verá que os corpos (caneta e papel) serão atraídos. Isso ocorreu devido ao carregamento elétrico que foi feito no atrito entre o cabelo e a caneta deixando a caneta carregada enquanto o papel tinha sua carga neutra, isso faz com que os corpos sejam atraídos.

Por Contato: A eletrização por contato consiste, diferentemente da eletrização por atrito, tem que ter, obrigatoriamente pelo menos um dos dois corpos carregado eletricamente. Para dar um exemplo desse caso pense em dois condutores, um carregado positivamente e outro neutro, quando os dois são aproximados é feita uma rápida transferência de elétrons do corpo neutro para o corpo carregado deixando os dois com cargas iguais quanto ao potencial elétrico e com as cargas de mesmo sinal. Vale ressaltar o princípio da conservação das cargas elétricas que diz que a carga inicial do processo é a mesma carga ao final do mesmo e que se os dois forem idênticos, ao final do processo eles terão a mesma carga elétrica.

Por indução: A eletrização por indução, ao contrario dos dois outros tipos, não precisa de um contato com os corpos, por exemplo, considere três corpos, um positivo e os outros dois neutros, pense que os neutros estão juntos, ao aproximar e somente aproximar o corpo positivo dos neutros, tal fato resulta numa separação de cargas dos condutores neutros, pelo fato do indutor ser positivo, o induzido que está mais próximo ao indutor torna-se negativo enquanto o induzido mais distante ao indutor torna-se positivo. Após isso, com o indutor ainda próximo, separe os dois induzidos, note que os dois condutores que antes eram neutros ficaram com cargas opostas, mesmo que não tenha havido contato algum, apenas a aproximação. Um grande exemplo das Eletrizações por indução são os raios, ou seja, são nuvens que possuem cargas elétricas e atraem na atmosfera cargas opostas e se essas gargas for muito intensas, elas criam um campo magnético muito forte que causa uma descarga elétrica fortíssima que hoje conhecemos como raio.

Para obter mais informações sobre eletrização acesse:

Referencial teórico

Texto produzido através de estudos realizados ás seguintes paginas da Internet:

http://educacao.uol.com.br/fisica/ult1700u39.jhtm

http://www.sofisica.com.br/conteudos/Eletromagnetismo/Eletrostatica/eletrizacao.php

Deixe um comentário

Arquivado em Recomendados, VF.3MB

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s