[3º] Eletrização de Corpos (por Thais Sales)

Para que possamos entender como acontece o fenômeno de eletrização, devemos primeiramente saber que toda a matéria do planeta é constituída por átomos. Cada átomo possui um núcleo, formado por prótons (de carga positiva) e nêutrons (de carga nula) e também possui uma eletrosfera, formada por elétrons (de carga negativa). Outro fator necessário ao entendimento é saber como funciona os fenômenos de atração e repulsão entre cargas, o qual consiste basicamente em: cagas opostas se atraem e as diferentes se repelem.

Para ocorrer a eletrização de um corpo neutro, ou seja, que tem suas cargas tanto positivas como negativas em completa harmonia, devemos perturbar esse equilíbrio de maneira que esse corpo fique com excesso ou falta de elétrons. Mas por que somente os “elétrons” migram entre os corpos? Porque no ambiente terrestre, é impossível “desconectar” prótons e nêutrons presentes no núcleo do átomo, por conta da imensa energia que os liga.

Quando ocorre essa migração de elétrons enlouquecidos em busca de suas cargas positivas, (que amor) o corpo fornecedor fica carregado positivamente, devido ao excesso de prótons (+) presentes ali, e o receptor fica carregado negativamente devido ao excesso de elétrons (-).

 

Processos de eletrização

Eletrização por Atrito: consiste em esfregar um corpo ao outro. Esse atrito geralmente provoca um distúrbio na superfície do objeto, fazendo com que ela perca seus elétrons mais “externos”. A imagem a seguir mostra que se um elemento da lista for atritado com qualquer outro, suas cargas serão mais propícias a serem negativas ou positivas. Por exemplo: se atritarmos a lã com a celulóide, o resultado será: lã carregada positivamente (pela falta de eletros) e celulóide carregada negativamente (pelo excesso de elétrons) .

Eletrização por contato: é quanto um corpo carregado entra em contado com outro corpo neutro e o resultado desse encontro gera corpos carregados com as mesmas cargas.

Eletrização por indução eletrostática: no caso da indução, é também necessária a presença de um corpo eletricamente carregado e outro neutro, mas não pode ocorrer o contato entre ambos. Apenas pelo poder da atração, o objeto com falta de elétrons (portando, carregado positivamente) atrai as cargas negativas do objeto neutro porque são contrárias às dele (lembre-se que os opostos se atraem…). Então, ocorre uma indução de eletricidade no objeto neutro, que tem suas cargas negativas excitadas, querendo alcançar o corpo atraente (hehe); do outro lado do objeto, ficam as cargas positivas, que estão tristes pela falta dos seus elétrons – na verdade elas são repelidas pelo “bastão positivo”. Daí, eles ligam o corpo com cargas excitadas num fio terra (ainda com a atração do Sr. Positivo) para que as cargas positivas sejam atraídas pelo “chão” e o corpo induzido fique completamente negativo.

Ainda não pegou? Então olha o desenho:

Por fim, é graças ao fenômeno da eletrizaçãoque levamos choques, construímos pára-raios, vemos os raios e escutamos os trovões, usamos fotocopiadoras, secamos nossos cabelos com secadores iônicos e etc.

Vídeo com Experimentos

Parte 1 – http://migre.me/3Zt9c

Parte 2 – http://migre.me/3Zt9W

 

 

Deixe um comentário

Arquivado em Recomendados, VF.3MA

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s