[3º] Produzimos campo elétrico? (por Nayla Bennington)

Embora passemos nossa infância esfregando bexigas no cabelo para atrair papéis picotados, força elétrica (de atração ou repulsão) não é uma coisa que se cria. Cargas elétricas estão nos corpos desde que o mundo é mundo, e, assim, formam os campos elétricos.

Um problema complexo de se estudar foi a ação das forças: primeiramente Newton (1643 – 1727) apareceu com seus estudos sobre a força gravitacional da Terra, posteriormente, Michael Faraday (1791 – 1867) foi o primeiro a propor o conceito de campo elétrico (lembre-se que gravidade é totalmente diferente de campo elétrico). Mesmo não tendo conhecimento de todos os fenômenos físicos existentes, o conceito de campo elétrico é basicamente este: uma entidade física que informa a todo o espaço a existência de um corpo eletrizado e que, ao colocar outra carga na região, será constatada a existência de uma força de origem elétrica agindo nesta carga.

Para se calcular a intensidade de um campo elétrico partindo de um ponto P qualquer, usando a carga geradora Q, usamos a seguinte fórmula:

E1 = K (|Q1| / d²)

Onde K é a constante eletrostática de valor 9×109 (N.m²)/C², Q é o valor da carga geradora em Coulomb, e d é a distância em metros entre a carga geradora e o ponto onde queremos calcular o valor do campo E.

A direção do vetor campo elétrico terá a mesma direção da reta que une o ponto P e a carga de geradora (Q). Já o sentido do vetor campo elétrico, depende do sinal da carga geradora (Q) (independendo do sinal da carga que sofre a ação da força):

  • O campo elétrico gerado por uma carga elétrica positiva é de afastamento

  • O campo elétrico gerado por uma carga elétrica negativa é de aproximação.

Mas, na verdade, nada é tão complicado quanto parece: pelos sendo atraídos pela televisão é uma interação entre o campo elétrico do aparelho com a carga dos pelos. Com isso, vimos que campos elétricos estão muito presentes em nossas vidas, sendo formados naturalmente, como em nossos corpos, ou não, como em produtos que fabricamos, embora não prestemos muita atenção nesse fenômeno.

Referências e links:

Aulas 5 à 7 do professor Renato M. Pugliese aos terceiros anos de ensino médio da ETEC Professor Camargo Aranha

http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/fisica/campo-eletrico-1.php

http://www.efeitojoule.com/2009/01/campo-eletrico-e-conceito-campo.html

http://www.infoescola.com/fisica/campo-eletrico/

 

Deixe um comentário

Arquivado em CA.3MB, Recomendados

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s