[1°] Força Gravitacional (por Nathália Cepeda)

A força gravitacional faz parte de nosso cotidiano. A queda de algum objeto em direção ao chão é devido à força gravitacional.
Podemos usar como exemplo também, o movimento de translação da Terra. A Terra se mantém numa órbita elíptica em torno do Sol por causa da força gravitacional que o Sol exerce sobre ela.

O físico Isaac Newton foi quem “descobriu” a força gravitacional e observou que quanto maior for a distância entre os corpos, menor será a força entre eles. Por exemplo: se a distância entre dois corpos for triplicada, a força diminuirá nove vezes, já que 32 = 9.

A força gravitacional é sempre atrativa. Então, massa sempre atrai massa e elas são sempre positivas. Ela também está associada a todos os corpos com massa, porém, perceberemos melhor quando pelo menos um dos corpos apresentarem magnitude astronômica. Para entender melhor, usaremos um exemplo simples:
Em cima de uma mesa temos um saco de feijão de 2 kg que está próximo de um saco de arroz, de 5 kg. Os dois possuem massas definidas, portanto, exercem uma força atrativa entre si. Porém, ela é pequena que e não consegue superar a força de atrito da superfície, para que os dois sacos se aproximem. E mesmo num espaço livre de atritos com outras superfícies, o resultado da aceleração da força de atração entre as duas massas seria muito pequena e a aproximação, muito lenta.

Ao tentarmos levantar os sacos, veremos uma considerável resistência, que pode ser dada pela interação com o planeta Terra. Também ao soltarmos os sacos perceberemos que são atraídos pelo planeta (bom, eles também atraem o planeta, mas não temos como perceber, pois a massa da terra é grande demais em relação à força aplicada nesse caso). Isso ocorre, porque a massa da Terra é de magnitude astronômica e consegue “compensar” o valor da constante universal.

Podemos dizer, então, que a força gravitacional predomina quando falamos de planetas, estrelas e corpos que possuem muita massa. É a força que estabiliza o universo. Para Newton, a força gravitacional teria ação instantânea. O físico Albert Einstein, também descreveu a força gravitacional, depois de uma análise do fato de que qualquer objeto num certo ponto do espaço possui a mesma aceleração, em função do campo gravitacional existente no local.

O “ponto de partida” para Einstein foi o fato de que o valor de um campo gravitacional coincidir com o valor da aceleração (aceleração da gravidade) de qualquer objeto que esteja ali, independentemente da sua massa. A teoria de Einstein é ao contrário da de Newton, pois ele prevê que a força gravitacional não é transmitida instantaneamente. Ele diz que essa tal força é transmitida com a velocidade da luz (para ele a maior possível).

Ainda temos muito a aprender sobre a força gravitacional, e para compreendermos melhor podemos contar com as teorias de Newton, Einstein e outros pesquisadores. Há estudos que continuam buscando novas adequações aos modelos já existentes ou até novas teorias para explicarmos de forma mais precisa essa força.

Vídeo:

Deixe um comentário

Arquivado em SESI.1A

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s